Saltar para o conteúdo principal

O Circuito Ciclista

A GRANDE FEIRA ANUAL
- O CIRCUITO CICLISTA

O Circuito Ciclista de Rio Maior surgiu devido à diminuição de público que se observava no terceiro dia da Feira de Setembro.

Em 1948, o Major Francisco José Cardoso Cabral de Quadros, na altura Presidente da Câmara Municipal, pensou dinamizar o último dia de feira. Para tal, além de uma sessão noturna de fogo-de-artifício para encerramento do certame, levou-se a efeito uma prova de ciclismo entre populares, prova essa que foi organizada pelo Clube de Futebol “Os Mineiros”, que nessa altura atingira um certo relevo no desporto nacional. Para além de uma prova de corrida de bicicletas para amadores existia ainda uma corrida de bicicletas motorizadas.

O percurso estabelecido era o seguinte:
Rio Maior, São Pedro (Santarém), Alcanede, Rio Maior. O vencedor inaugural desta prova foi João Marcelino de Rio Maior, que mais tarde viria a integrar a equipa de ciclismo do Benfica.

Nos três anos seguintes o percurso da corrida era o seguinte:
Rio Maior, Moinho de Ordem, Vila da Marmeleira, Louriceira, Entroncamento Espanhol, Rio Maior.

Como aquele itinerário não fosse suficiente para manter o público em Rio Maior, passou o circuito a ser disputado entre Rio Maior, Fonte da Bica, Alto da Serra, Rio Maior, aumentando assim a frequência de passagens ou voltas pelo centro da Vila. Mais tarde optou-se por novo circuito entre Rio Maior, S. João da Ribeira, Rio Maior.

Estes circuitos foram sempre organizados por comissões improvisadas até 1957, participando neles corredores independentes do Alpiarça, Bombarralense e até do Benfica, tais como Miranda Céu, Miguel Rodrigues, Eduardo Nicolau e Aníbal Costa.

Em 1958, o circuito foi oficializado, fazendo parte do calendário oficial da Federação Portuguesa de Ciclismo, o que contribuiu para que se tornasse numa das melhores provas do género, atraindo a Rio Maior milhares de pessoas no último dia da feira, bem como incutindo interesse nos maiores clubes de ciclismo nacionais, que se faziam representar através dos seus melhores corredores como foi o caso da participação do campeão nacional Joaquim Agostinho no XV Circuito Ciclista da Feira de Rio Maior.

É em 1958 que a Câmara Municipal cria a Comissão Organizadora do Circuito, contando com nomes como os de Joaquim Pereira de Deus, Francisco Palhinhas, Francisco Marques e Amílcar Almeida, entre outros. A organização contava ainda com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Rio Maior.

O circuito passa a ter quilometragem certa, composto por cinquenta voltas disputadas na vila, com partida da Rua Dr. Francisco Barbosa, Largo do Rio da ponte, Av. Dos Combatentes, Carraxanas, Rua D. Afonso Henriques, Praça da Republica, terminando na Rua Dr. Francisco Barbosa, num total de 65 Km.

 


Passagem na Rua General Carmona (atual Praça da Republica)
Fonte: Arquivo Municipal

A partir de 1962, a Associação de Bombeiros Voluntários de Rio Maior passou a organizar o circuito, até à sua extinção em 2001.
Em 1994, com a “Recriação de Rio Maior naMetade do Século XIX”, sendo que existia ocupação de algumas artérias em que era habitual decorrer a prova, as voltas foram alteradas para a Av. De Portugal, Rua Carolina Amália, Largo Ana Pina Natal, Rua Marquês de Rio Maior, Rua Ferreira Campos, Rua D. Afonso Henriques, EN1, Freiria e de novo Av. De Portugal.

Em 2001 realiza-se pela última vez a prova do circuito ciclista, integrado na Feira Nacional da Cebola, deixando a todos uma enorme saudade pelo domingo de feira, preenchido pela enorme afluência de visitantes ao centro da cidade e pela fervorosa disputa entre as equipas de ciclismo que fazia a delícia de miúdos e graúdos.

 

Quadro de Honra

ANO

CICLISTA

CLUBE

 

 

 

1958

Henrique Castro

Benfica

1959

Alves Barbosa

Sangalhos

1960

António Pisco

Alpiarça

1961

José Pacheco

Porto

1962

Lima Fernandes

Alpiarça

1963

José P. Carvalho

Sporting

1964

Sérgio Páscoa

Tavira

1965

António Pisco

Alpiarça

1966

Mário Silva

Porto

1967

Manuel Costa

Benfica

1968

Sérgio Páscoa

Sporting

1969

Fernando Mendes

Benfica

1970

Emiliano Dionísio

Sporting

1971

Manuel Luis

Sporting

1972

Francisco Miranda

Sporting

1973

Emiliano Dionísio

Sporting

1974

Manuel Gomes

Sporting

1975

Manuel Gomes

Sporting

1976

Alexandre Ruas

Costa do Sol

1977

João Duarte

Bombarralense

1978

José Amaro

Benfica

1979

Francisco Miranda

Bombarralense

1980

Fern. Fernandes

Porto

1981

Alexandre Ruas

Lourosa

1982

Fern. Fernandes

Boavista

1983

Marco Chagas

Mako Jeans

1984

Carlos Ferreira

Lousã

1985

Paulo Ferreira

Sporting

1986

José Xavier

Sporting

1987

Rui Duro

Louletano

1988

José Xavier

Louletano

1989

Paulo Pinto

Sicasal

1990

Dulas Andreyv

Ruquita

1991

Paulo Silva

Orima

1992

Gonçalo Amorim

Tensai

1993

Pedro Lourenço

Tróia Marisco

1994

Carlos Jesus                          

Recer-Boavista

1995

Stancho Stanchev                 

Bom Petisco

1996

Jesus Blanco Villar               

W52

1997

Vidal José Fitas Pereira        

Progecer              

1998

Jesus Blanco Villar               

LA-Pecol

1999

Vidal José Fitas Pereira        

Porta da Ravessa        

2000

Paulo Jorge Martins Teixeira

Gresco-Tavira

2001

Luis Miguel Paulo

Marquês de Marialva


Por: Ricardo Rosário

voltar ao topo