Saltar para o conteúdo principal

Galeria Municipal (Exposição Permanente) - Espólio da Villa Romana

 

ESPÓLIO

Até ao momento o espólio recolhido no decurso das escavações é essencialmente composto por peças indicadoras do grande luxo e riqueza dos proprietários desta Villa.

São inúmeros os fragmentos de placas em calcário comum e cristalino, de mármore dos mais variados tipos e cores, usados na ornamentação dos rodapés e outras partes arquitectónicas do imóvel.

Alguns destas peças são frisos profusamente decorados com gravações a baixo-relevo. As colunas (bases, fustes e capiteis) também eram feitas com estes tipos de rocha.

Outro elemento constante em todas as salas e corredores postos a descoberto pelas escavações, são os fragmentos de estuque pintado que fariam parte da decoração parietal da Villa.

O chão de todas as dependências e áreas de circulação, até ao momento descobertas, são pavimentados com mosaico. Este é de estilo geométrico associado a alguns motivos vegetalistas e fitomórficos estilizados, com uma extraordinária gama cromática.

Existe, também, um grande número de tesselas de pasta de vidro com uma rica e vasta gama de cores, que deveriam ter sido usadas em composições ornamentais de paredes ou nichos.

Temos ainda vários objectos de luxo, como contas de vidro pertencentes a colares ou brincos (?), fragmentos de terra sigillata, (cerâmica importada que constituía o serviço “chique” da época), na sua maioria de produção norte-africana, fragmentos de vários objectos de vidro (copos, taças, jarros, unguentários, etc.), duas patas de felino, aladas, em bronze, que fariam parte da base de um objecto ainda não determinado (mesa, baú, suporte?), uma asa de um jarro de bronze e algumas moedas.

Outro elemento indicativo do elevado poder económico deste patrício romano observa-se na presença de várias peças de estatuária. Sabemos que “a escultura era uma presença constante no Mundo Antigo: nos templos, nos monumentos públicos, nas ruas e praças urbanas, nos jardins privados das vivendas mais ricas” (Souza, 1986). Até ao momento foram descobertos fragmentos de, pelo menos, cinco estátuas, uma delas de escala natural, e ainda uma peça quase intacta (faltam muito poucos fragmentos), a Ninfa fontanária de Rio Maior.

Também foram encontrados fragmentos de objectos comuns, como fundos de ânforas, fragmentos de grandes potes de armazenamento (Dollia), pesos de tear, cerâmica de uso comum (tachos, panelas, vasos, etc.).

 

SALA 1 – INTRODUÇÃO

Composta por descritores com informação sobre o Império Romano, Portugal Romano e Rio Maior Romano.

 

Nesta sala introduz-se o visitante no mundo dos romanos, a sua expansão, diferenças entre estes e os povos autóctones e os vestígios conhecidos no concelho de Rio Maior

Foto 1 Foto 2 Foto 3

 

 SALA 2 – A VILLA ROMANA DE RIO MAIOR

Composta por descritores com informação sobre o é uma Villa Romana, quem seriam os seus proprietáriosdescrição da sua descoberta e explicação das ruínas exumadas até ao momento.

 

Temos também, um painel com a reconstituição em 3D da provável arquitectura da área da Villa a descoberto (fotos 7 e 8) e uma maqueta das ruínas sobre uma planta topográfica da zona (foto 9).

 

Colocaram-se, a servir de ombreiras da porta de acesso à Sala nº 2 (foto 6), umas estruturas de madeiraonde se incorporaram uma série de tijoleiras romanas descobertas intactas

Foto 4     Foto 5
 

SALA 3 – MATERIRAIS DECORATIVOS E DE CONSTRUÇÃO

Composta por descritores com informação sobre a arquitectura romana e as diferenças existentes entre os métodos de construção dos romanos e dos povos autóctones e de pequenos descritores específicos para temas mais concretos (elaboração de mosaicos e estuques pintados).

 

Expositores com vários materiais usados na construção da Villa Romana de Rio Maior e na sua decoração

Foto 10     Foto 11
      

Expositor 1:

Fragmento de tijoleira com impressão de humano descalço

Fragmento de Telha Plana com impressão de humano descalço

Foto 12
 

Expositor 2:

Diversos fragmentos de base de fuste em pedra de Liós

Fragmento de cantaria calcária com decoração

Três fragmentos de friso em mármore com decoração

Foto 13 Foto 14 Foto 15

Expositor 3:

Fragmento de Tijoleira com impressão de sandalia

Foto 16
 

Expositor 4:

Fragmentos de Estuque Pintado dos revestimentos das paredes e tectos da Villa

Foto 17
 

Expositor 5:

Diversos fragmentos de placas de mármore e calcário

Foto 18
 

Expositor 6:

Fragmentos de mosaico

Cubos de pedra para fraccionar de modo a obter pedras com menos dimensão para a elaboração dos mosaicos

Foto 19
 

Parapeito Janela 1:

Tijoleiras de construção

Fragmento de Argamassa romana

Fragmento de Telha Curva

Foto 20
 

Parapeito Janela 2:
 Arco em madeira onde se incorporaram tijoleiras com forma de cunha especificas para este tipo de construção

Foto 21
 

Chão 1:

Placa de Mármore Cinzento de revestimento de paredes

Placa de mármore branco-sujo, com corte semi-circular

Foto 22     Foto 23
 

Chão 2:

Base de Coluna

Foto 24
 

SALA 4 – OBJECTOS DO QUOTIDIANO

Composta por descritores de pequena dimensão com informação específica a cada Expositor.

 

Expositores com vários materiais usados no dia a dia da Villa Romana.

 

Foto 25     Foto 26
 

Expositor 1:

Duas patas de Bronze de leão ou grifo aladas

Três Moedas Romanas

Fragmento de Anel em Bronze

Três contas de Colar em massa de Vidro

Um elemento em osso

Foto 27     Foto 28
 

Expositor 2:

Diversos fragmentos de cerâmica comum utilitária

Fragmentos de panelas, vasos, jarros, ânforas e pesos de tear

Foto 29
 

Expositor 3:

Diversos fragmentos de peças de vidro

Fragmentos de taças, copos, jarros e unguentário

Foto 30
 

Expositor 4:

Diversos fragmentos de Recipientes de Cobre

Fragmentos de uma frigideira de outros de forma ou função ainda não determinada

Foto 31

 

Expositor 5:

Diversos fragmentos de Terra Sigillata, predominando peças de produção Africana

Foto 32
 

Expositor 6:

Fragmentos de grandes potes ou contentores de armazenagem

Foto 33
 

SALA 5 – A RELIGIÃO

Composta por descritores com informação sobre a religião romana, a Ninfa de Rio Maior e a Religião Cristã

Expositores com várias evidências destas vivências religiosas na época.

Foto 34     Foto 35
 

Expositor 1:

Fragmentos de uma inscrição em laje de calcário

Fragmento de uma estátua de uma divindade

Dois fragmentos de bustos (vestuário)

Fragmento de dedo pertencente a uma estátua de tamanho natural

Foto 36
 

Expositor 2:

Fragmento de um Fuste de Coluna com uma Cruz inscrita

Foto 37
 

Expositor 3:

Estátua de Ninfa Fontenária

Foto 38
 

Expositor 4:

Fragmentos de uma Telha Curva com uma inscrição Paleo-Cristã

Foto 39
 

SALA 6 – ANIMAÇÃO

Composta por um descritor com informação sobre o dia a dia de um romano rico, como seria o caso do proprietário desta Villa.

No restante espaço da sala colocou-se algum mobiliário próximo dos modelos usados pelos romanos e revestiu-se parcialmente as paredes com uma reconstituição de painéis de estuque pintado.

 

Este espaço é utilizado numa vertente exclusivamente de animação cultural em especial para grupos escolares.

 

No final da exposição o público é recebido por um animador vestido como um romano que uma breve explicação de como se vive naquele tempo e finaliza com um convite para visitarem a sua casa (Villa Romana de Rio Maior).

 

Daqui os grupos e visitantes que o solicitam partem para a visita das Ruina da Villa Romana.

Foto 40     Foto 41

voltar ao topo